Tipos de alergia alimentar: veja os 5 mais comuns!

Você já reparou que os vários tipos de alergia alimentar estão cada vez mais comuns? Isso se deve não somente ao fato dos diagnósticos serem mais precisos atualmente, mas com o estilo de vida ocidental e aos fatores ambientais.

Já se sabe que os países em desenvolvimento têm menos ocorrência desses quadros. Além disso, há mais casos em áreas urbanas que rurais. Sendo assim, acredita-se que a poluição, a menor exposição aos micro-organismos e as mudanças nos hábitos alimentares influenciam nessa questão.

O motivo é que essas situações modificam a forma como o nosso sistema imunológico reage aos alérgenos — como são chamadas as substâncias que causam as alergias. Por falar nisso, você sabe quais são os tipos de alergias alimentares mais comuns? Continue a leitura e confira 5 delas!

1. Leite de vaca

É uma das alergias alimentares mais comuns e conhecidas. Afinal, quem nunca ouviu falar de alguma criança que não pode consumir leite e laticínios? É importante diferenciar a APLV (alergia à proteína do leite de vaca) da intolerância à lactose.

Enquanto a primeira se trata de uma alergia, que mobiliza todo o sistema imunológico, a segunda é uma dificuldade na digestão do açúcar do leite. Em geral, a APLV é curada sozinha com o passar dos anos. No entanto, é preciso o acompanhamento médico e o tratamento por questões de segurança, já que qualquer traço de leite e derivados pode desencadear uma reação alérgica que pode levar ao choque anafilático e à morte.

2. Amendoim

A alergia ao amendoim pode causar coceira na pele, formigamento e incômodo na garganta e ao redor da boca, além de coriza e náuseas. A pessoa que é alérgica a essa leguminosa deve retirar todo e qualquer alimento que a inclui na receita. É importantíssimo ler os rótulos para saber se há ou não traços, pois qualquer vestígio pode ser o suficiente para dar uma crise.

3. Frutos do mar

Os mariscos ou frutos do mar são os crustáceos e moluscos, entre eles estão: camarão, caranguejo, lagosta, mexilhão, vieiras e ostras. Todos esses alimentos podem ser fatais para quem é alérgico a eles, pois essa é uma das mais perigosas alergias. Os sintomas são:

  • vômito;
  • má digestão;
  • coceira no corpo;
  • dificuldade para engolir;
  • palidez;
  • confusão mental;
  • diarreia;
  • pulso fraco.

4. Ovo

A alergia ao ovo, assim como ao leite, geralmente, surge na infância e tende a desaparecer até os 16 anos. Entre os sintomas estão a coceira e caroços vermelhos na pele, os problemas respiratórios e a dor de estômago. Não há limite seguro para a ingestão do alimento, então clara e gema devem ser totalmente excluídos da alimentação.

Lembrando que as vacinas de febre amarela e de gripe contêm traços de ovos. Sendo assim, o alérgico não pode tomá-las. É sempre bom perguntar no posto de saúde ou na clínica que for se vacinar se aquela imunização apresenta ou não esse alimento na composição.

5. Glúten

O glúten é uma proteína encontrada em alguns cereais, como trigo, centeio e cevada. É ele quem deixa a massa feita de farinha de trigo elástica, pois em contato com a água forma uma espécie de cola. Muitas pessoas apresentam alergia a essa proteína.

A doença celíaca, como é chamada, é uma doença autoimune crônica, ou seja, não tem cura, apenas tratamento. Os sintomas da reação ao glúten são relacionados à problemas gastrointestinais, como diarreia crônica, má absorção dos nutrientes, perda de apetite e distensão abdominal.

Em crianças e adolescentes, pode causar problemas no desenvolvimento, caso não seja feito o tratamento, que consiste na exclusão de alimentos que contenham glúten. É por conta dos alérgicos à essa proteína que as embalagens dos produtos alimentícios contam a informação de contém ou não contém glúten.

Lembrando que quando um produto é industrializado, pode haver a contaminação cruzada. Por exemplo, por mais que o fubá não contenha glúten, se for armazenado no mesmo galpão que o trigo, pode ser contaminado e apresentar traços da proteína. Por isso, todo cuidado é pouco.

Independentemente de qual seja o tipo de alergia alimentar é imprescindível ter o acompanhamento médico e nutricional para evitar qualquer reação alérgica. Elas são sérias e podem levar à morte. Sendo assim, o alérgico deve seguir um cardápio adequado e ficar em alerta sempre que for consumir algum alimento diferente do habitual.

Você já nos segue nas redes sociais? Por lá você fica sabendo de todas as nossas novidades em tempo real. Estamos no Facebook e no Instagram!

Quanto mais natural, melhor.

Chega de ultraprocessados, realçadores de sabor e de listas de ingredientes impossíveis de entender. As nossas
refeições não tem corantes ou conservantes artificiais, e cada ingrediente é comida de verdade.