Descubra aqui 4 tipos de regime alimentar

regime alimentar

O termo regime alimentar já colocou medo em muita gente, pois era sinônimo de privações. Mas será que ele significa isso mesmo? Na verdade, o conceito se refere a um padrão alimentar que restringe alguns grupos de alimentos.

A dieta é bem parecida, porém é usada quando falamos em restrições para tratamento e/ou prevenção de alguma doença, como diabetes ou colesterol alto. Por fim, a reeducação consiste nos bons hábitos alimentares para quem pode comer de tudo um pouco.

Agora que já está tudo esclarecido sobre as nomenclaturas, vamos ao que te fez ter interesse em ler este post? Saiba mais, a seguir, sobre quatro regimes alimentares.

1. Vegetarianismo

Podemos dizer que o vegetarianismo é o regime alimentar que exclui a ingestão de carnes de qualquer tipo, sejam brancas ou vermelhas. Nesse caso, os grupos de frutas, vegetais, cereais, leguminosas e oleaginosas são a base da alimentação, mas em algumas linhas é possível incluir alimentos de origem animal, como:

  • ovolactovegetarianismo: permite o consumo de ovos, leite e laticínios;
  • lactovegetarianismo: utiliza leite e laticínios na alimentação;
  • ovovegetarianismo: conta com ovos no cardápio;
  • vegetarianismo estrito: apenas alimentos de origem vegetal entram no menu.

2. Veganismo

O veganismo é mais que um regime alimentar, é um estilo de vida. Nele não é apenas a alimentação o fato considerado, mas sim todo o consumo da pessoa, desde produtos de higiene até o vestuário. Nada que venha diretamente ou indiretamente de animais é consumido.

O principal fator que leva uma pessoa ser vegana é o respeito aos animais e a sustentabilidade do planeta. Mas então, o que um vegano come? O cardápio é o mesmo do vegetariano estrito, ou seja, todos os vegetais, como frutas, verduras, legumes, grãos, cereais e leguminosas.

3. Crudivorismo

Já ouviu falar em crudivorismo? Ele é um padrão alimentar que tem alcançado mais adeptos. Nele, acredita-se que a melhor maneira de aproveitar os alimentos é comê-los crus. Pela lógica do regime, somos os únicos animais que cozinham a comida.

Então, para seguir o que a natureza manda, é necessário não aquecer os alimentos. Sendo assim, a alimentação de um crudívoro é feita por vegetais parcial ou totalmente crus. Verduras, legumes, frutas e oleaginosas fazem parte do cardápio diário.

4. Flexitarianismo

O flexitarianismo é um conceito bem recente, que quer dizer um regime flexível. Isso significa que o consumo de carne é reduzido a ocasiões esporádicas, e não como parte da alimentação diária. Em vez de comer bife todos os dias, o flexitariano ingere pouca quantidade em um jantar especial, por exemplo.

É uma maneira mais flexível de se alimentar, ingerindo menos alimentos de origem animal e mais vegetais. Além de ajudar na saúde do adepto, contribui com o meio ambiente e a sustentabilidade. Já é um bom começo, não é verdade?

Existem vários tipos de regimes alimentares, cada um com suas características e princípios. O importante aqui é seguir um que seja saudável e que te traga mais qualidade de vida e bem-estar.

Está a fim de comer melhor? Aproveite que está por aqui e veja agora mesmo os 6 principais benefícios da mudança de hábitos alimentares!

Quanto mais natural, melhor.

Chega de ultraprocessados, realçadores de sabor e de listas de ingredientes impossíveis de entender. As nossas
refeições não tem corantes ou conservantes artificiais, e cada ingrediente é comida de verdade.