Quais os tipos de diabetes? Descubra aqui!

Como está a sua taxa de açúcar no sangue? Já fez um teste de glicemia recentemente? Saiba que esse exame é um dos que devem estar em seu check-up de saúde, pois a doença por trás da glicose elevada pode trazer consequências bem sérias. Pensando nisso, você sabe quais os tipos de diabetes?

No mundo todo, essa doença cresce, especialmente a que tem a ver com maus hábitos de vida. Em 2 anos, o número de diabéticos subiu em 38 milhões, chegando ao total de 463 milhões de portadores. Como estão os brasileiros nesse cenário? A notícia não é muito boa.

Nesse tempo, o Brasil aumentou em 31% os casos de glicemia alta. Para se ter ideia, a porcentagem de aumento mundial foi de 9%. Sendo assim, podemos concluir que precisamos tomar mais cuidado com a condição. Quer saber como e quais os tipos de diabetes? Então, continue a leitura, pois, neste post, falaremos mais sobre o assunto. Confira!

O que é diabetes?

O diabetes mellitus é considerado uma doença crônica não transmissível e tem como principal característica o alto nível de glicose (açúcar) no sangue. Ele pode ocorrer por problemas na produção da insulina ou por ineficiência desse hormônio, que é produzido no pâncreas.

Para entender a enfermidade, é interessante saber como funciona o metabolismo do açúcar no organismo. Simplificando, quando você consome algum tipo de carboidrato — nutriente que vira glicose no corpo — ou açúcar, logo a glicemia sanguínea sobe.

Essa glicose precisa entrar nas células para servir de energia e quem é responsável por isso é a insulina. Quando esse hormônio não é produzido pelo pâncreas ou tem a sua ação invalidada, a glicose continua circulando pelo corpo, o que pode trazer várias consequências.

Isso porque as moléculas de glicose circulando em grande quantidade pelo organismo prejudicam a microcirculação e, consequentemente, afetam todos os órgãos, principalmente os mais sensíveis, como rins e olhos.

Por isso, é tão importante prevenir a doença e, no caso de ser portador, tratá-la da melhor maneira possível a fim de evitar os problemas causados pelo diabetes.

Quais são os tipos de diabetes?

Não, diabetes não é tudo igual. Existem 3 tipos de diabetes, embora a principal característica deles seja a taxa elevada de açúcar no sangue, e cada um tem causas diferentes. Veja!

Diabetes mellitus tipo 1

O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune e hereditária. O que isso significa? Primeiro, que há um problema no organismo em que o sistema de defesa ataca as células do pâncreas responsáveis por produzir a insulina. Segundo, que a pessoa nasce com a doença por conta de uma predisposição da família.

De todos os diabéticos do Brasil, cerca de 5% a 10% apresentam esse tipo. Por ser genética, a enfermidade se manifesta ainda na infância ou na adolescência, mas pode ser diagnosticada em adultos também. Como a produção de insulina fica muito comprometida, o diabético tipo 1 precisa administrá-la diariamente.

Diabetes mellitus tipo 2

O diabetes tipo 2 é o mais comum, tomando cerca de 90% dos portadores brasileiros da doença. Nesse caso, a insulina até é produzida, mas é ineficaz para dar conta da glicose sanguínea. Isso pode acontecer tanto pela quantidade exagerada da ingestão de açúcares quanto por conta do sobrepeso e da obesidade.

A gordura corporal em excesso faz com que haja um aumento na produção da insulina. Com o tempo, o pâncreas fica sobrecarregado e o organismo cria uma resistência à insulina. Dessa forma, o hormônio passa a não cumprir a sua função corretamente e a glicose sanguínea fica elevada.

Esse tipo de diabetes surge mais em adultos, principalmente acima dos 40 anos. Ele está ligado aos maus hábitos de vida, como má alimentação e sedentarismo. No entanto, o estilo de vida atual dos jovens e das crianças, com alta ingestão de açúcares e gorduras ruins e poucas atividades físicas, faz com que o diabetes tipo 2 apareça cada vez mais cedo.

É possível controlar esse diabetes mudando os hábitos e perdendo peso, caso esse seja um dos fatores de risco para a doença. Em alguns casos, é necessário o uso de medicamentos e, até mesmo, da insulina injetável.

Diabetes mellitus gestacional

Quando a gestante apresenta uma taxa alta de glicose no sangue durante a gravidez, há o que chamamos de diabetes gestacional. Nesse caso, geralmente, a glicose sanguínea normaliza após o parto. Entretanto, há quadros em que ela permanece alta, desenvolvendo o diabetes tipo 2.

O problema do diabetes gestacional não é apenas esse. O bebê da gestante que apresenta esse tipo de diabetes pode nascer prematuro e muito acima do peso. Além disso, pode ter hipoglicemia neonatal e tornar-se um adulto obeso.

Quais os sintomas do diabetes?

O diabetes é tido como uma doença silenciosa. Isso porque seus sintomas não são muito característicos quando detectados de maneira isolada. Somente juntando alguns deles, é possível suspeitar da doença. Entretanto, existem 3 sinais para ficar atento e fazer o exame de glicemia: poliúria, polidipsia e polifagia.

Esses sinais representam o aumento da frequência urinária, da sede e da fome, respectivamente. Além disso, existem outros pontos a observar. Entenda a seguir.

Diabetes tipo 1:

  • perda de peso;
  • mudanças de humor;
  • fraqueza;
  • fadiga;
  • náusea e vômito. 

Diabetes tipo 2:

  • infecções frequentes nos rins, na bexiga e na pele;
  • formigamento nos pés e nas mãos;
  • visão embaçada;
  • feridas que demoram para cicatrizar.

Diabetes gestacional

É muito comum que o diabetes gestacional não apresente sintomas. Por isso, os exames de glicemia são frequentes durante o pré-natal. Alguns sinais de que a glicose está alta durante a gestação são:

  • cansaço;
  • tontura;
  • visão embaçada;
  • infecções frequentes.

Como prevenir a doença?

Como vimos, o diabetes tipo 1 é uma doença genética, de modo que não há prevenção e nem cura, apenas controle. Entretanto, um diabético tipo 1 pode ter uma vida normal seguindo as recomendações médicas e nutricionais. Já o diabetes tipo 2 e o diabetes gestacional são condições que podemos evitar com medidas bem simples: hábitos de vida saudáveis. A seguir, confira os principais.

Alimentação saudável

Uma alimentação saudável é capaz de prevenir diversas enfermidades, inclusive o diabetes. Isso porque um cardápio equilibrado fornece todos os nutrientes necessários para o organismo, sem sobrecarregar a produção de insulina e sem aumentar a gordura corporal, que são dois fatores que elevam a resistência à insulina.

Sendo assim, consumir mais frutas, verduras e legumes; reduzir a ingestão de açúcares, gorduras ruins e sal e moderar no consumo de carboidratos, dando preferência aos integrais, é uma forma de ter uma dieta mais saudável e, consequentemente, de prevenir o diabetes.

Prática regular de atividades físicas

A prática regular de atividades físicas é fundamental para manter a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida. Em relação ao diabetes, ela ajuda na prevenção da doença de duas maneiras. A primeira é no controle do peso corporal, e a segunda é na melhora da sensibilidade à insulina.

Durante os exercícios físicos, a glicose é capaz de entrar nas células, precisando de menor quantidade de insulina e, consequentemente, poupando o pâncreas. Se você ainda não faz atividades físicas regularmente, então, escolha alguma modalidade de que goste mais e pratique!

Abandono dos maus hábitos de vida

Fumar e ingerir bebidas alcoólicas em excesso é um dos maus hábitos que devem ser abandonados por quem quer ter mais qualidade de vida e longevidade. Apesar de não causarem o diabetes, até onde já se sabe, eles podem prejudicar (e muito) quem já apresenta a doença.

O fumo aumenta o risco de morte prematura no diabético, pois ambas as situações (cigarro e glicose alta) favorecem o surgimento de problemas cardiovasculares. Já o álcool desequilibra o mecanismo da glicose sanguínea, alterando os efeitos da insulina e dos medicamentos antidiabéticos orais, resultando em hiper ou hipoglicemia.

Controle do peso

O sobrepeso e a obesidade são condições que podem levar à resistência à insulina e, assim, ao diabetes. Dessa maneira, manter o controle do peso dentro do adequado é uma forma de evitar a enfermidade. Entretanto, apenas estar na faixa de peso ideal não é garantia de prevenção de doenças.

Isso quer dizer que, para evitar o diabetes e outras doenças, como as cardiovasculares, é preciso ter o conjunto de hábitos saudáveis, como se alimentar bem, praticar atividades físicas regularmente, evitar o estresse, ter um sono de qualidade etc.

Qual é a importância de prevenir o diabetes?

O diabetes é uma doença que pode ser controlada e o portador pode ter muita qualidade de vida com isso. Entretanto, em casos em que ela está descompensada, os prejuízos à saúde são muitos! A seguir, confira alguns dos problemas que um diabético que não faz o controle pode ter:

  • má cicatrização de feridas, principalmente as que acontecem nas extremidades do corpo;
  • risco de amputação por conta da má circulação e da má cicatrização;
  • lesões nos rins levando a doenças renais crônicas e à necessidade de hemodiálise e transplante;
  • problemas na visão, como catarata, glaucoma, retinopatia diabética e cegueira;
  • neuropatia diabética, que diminui a sensibilidade do corpo;
  • problemas cardiovasculares;
  • impotência sexual.

Por tudo isso que vimos neste post sobre quais os tipos de diabetes, podemos concluir que levar um estilo de vida saudável é a melhor maneira de evitar alguns tipos de diabetes e de controlá-los. Sendo assim, procure manter bons hábitos de vida para ter mais saúde e bem-estar.

Quer melhorar a sua alimentação, mas você não tem tempo ou não tem habilidade para cozinhar? Então, aproveite que está por aqui e conheça a Bálsamo Congelados Saudáveis. Entre em contato e saiba mais!

Quanto mais natural, melhor.

Chega de ultraprocessados, realçadores de sabor e de listas de ingredientes impossíveis de entender. As nossas
refeições não tem corantes ou conservantes artificiais, e cada ingrediente é comida de verdade.