Você sabe qual a importância da alimentação na infância?

importância da alimentação na infância

Sabemos que manter hábitos saudáveis é fundamental em qualquer fase da vida. Somente dessa maneira é que podemos assegurar bem-estar. Pensando nisso, você sabe realmente qual é a importância da alimentação na infância e como ela impacta a saúde dos pequenos?

Antigamente, bebê saudável era aquele bebê gordinho, cheio de dobrinhas. Hoje em dia, temos consciência de que não é bem assim que funciona. Aliás, a obesidade infantil já toma proporções alarmantes. Por isso, precisamos ficar atentos ao cardápio dos baixinhos. Neste post, trouxemos informações importantes e contamos tudo o que você precisa saber sobre alimentação infantil. Vamos lá?

Qual é a importância da alimentação na infância?

A criança está em constante desenvolvimento: emocional, físico, cognitivo e social. Todos os dias ela aprende algo novo desde o seu nascimento. Por esse motivo, fornecer todos os nutrientes é imprescindível para que ela desenvolva o seu potencial em todos os aspectos.

Apenas “encher a barriga” não é o suficiente. É preciso fornecer uma alimentação que supra todas as necessidades nutricionais para que o organismo funcione corretamente. Um cardápio deficiente em nutrientes é capaz de trazer problemas, desde o desânimo e o cansaço até o atraso no desenvolvimento e outras complicações mais sérias.

As necessidades nutricionais da criança são diferentes das nossas. Enquanto nós adultos, precisamos manter a nossa estrutura, ela está formando novas. Ossos, músculos, pele, órgãos, dentes e outros tecidos estão em formação e isso exige uma quantidade adequada de substâncias que somente conseguimos por meio de uma alimentação saudável e equilibrada.

Paladar

Você sabia que é durante os 2 primeiros anos de vida que o nosso paladar é formado? Na verdade, até mesmo o que a mãe come na gestação pode influenciar as preferências alimentares do bebê. Por esse motivo, a alimentação na infância deve ter todo o cuidado, pois o que a criança está habituada a comer é o que ela levará para a vida adulta. A criança pequena que consome vegetais variados e alimentos saudáveis tenderá a comer isso também quando crescer.

Educação nutricional

Quantos adultos sofrem hoje para mudar os seus hábitos alimentares? A reeducação alimentar faz parte da vida de muita gente que não aprendeu a como se nutrir corretamente e acaba carregando as consequências disso, assim como os vários problemas de saúde. Dessa forma, a educação nutricional deve ser feita ensinando as crianças desde pequenas a ter uma alimentação mais saudável.

Obesidade infantil

A obesidade infantil é uma realidade cada vez mais próxima. Estima-se que cerca de 33% das crianças brasileiras já estejam acima do peso e 15% com obesidade. As chances de uma criança obesa se tornar um adulto também obeso é de 80%. Isso porque as células de gordura se multiplicam rapidamente na infância e, quando emagrecemos, elas apenas murcham, mas não são eliminadas.

Sendo assim, a pessoa que teve sobrepeso na infância carrega grande quantidade desses reservatórios de gordura, o que contribui para o ganho de peso. E tem mais: a criança pode ser obesa e desnutrida ao mesmo tempo, já que a desnutrição tem a ver com a carência de nutrientes e não apenas com o peso corporal. Essas são outras razões para cuidar da alimentação infantil.

Como criar bons hábitos alimentares na infância?

Agora que você já sabe os motivos para cuidar ainda mais do cardápio do seu pequeno, que tal aprender algumas dicas para uma boa educação nutricional? Afinal, sabemos que bons hábitos se conquistam mais facilmente na infância.

Valorize os sabores e as texturas dos alimentos saudáveis

Muitos pais reclamam que os filhos comiam grande variedade de legumes quando bebês, mas que, ao crescerem, se negam a consumir. O problema é que, geralmente, esses alimentos são preparados em forma de papinha ou misturados a outros de sabores mais fortes, como o feijão.

O resultado? O pequeno não aprendeu o gosto e a textura dos legumes, e por isso estranha ao consumi-los puros. A dica aqui é, durante a introdução alimentar, oferecer os vegetais cozidos e amassados, mas sem misturá-los as outras comidas. O método BLW (Baby Led Weaning) também é ótimo para a formação dos hábitos alimentares infantis.

Dê o exemplo

Uma das maiores fontes de aprendizado das crianças são os pais. Desde muito pequenas, as crianças imitam os adultos em todos os comportamentos, inclusive os alimentares. Se você não consome legumes, frutas e verduras, acaba não dando um bom exemplo, não é verdade? Então, para que o seu filho aprenda o que é uma alimentação saudável, comece por você e tenha esse bom hábito.

Mantenha uma rotina alimentar

Manter uma rotina alimentar é muito importante para a educação nutricional das crianças. Comer a cada dia em horários ou locais diferentes pode fazer com que a pequena não dê o devido valor à alimentação. Estabeleça horários para as principais refeições, não precisa ser tão rígido, mas é bom ter uma referência.

Além disso, prepare um lugar adequado para comer. O sofá, assistindo televisão, por exemplo, não é o indicado, pois existem distrações que fazem com que a criança não perceba o que está ingerindo, e isso pode afetar o senso de saciedade. Sentar-se à mesa, com conforto e fazer a refeição tranquilamente é a melhor opção.

Evite as calorias vazias

Você sabe o que são calorias vazias? São alimentos muito calóricos, mas pouco nutritivos. Eles têm grande quantidade de gorduras ou/açúcares, além de aditivos químicos, e poucas vitaminas, minerais e fibras. Alguns exemplos? Bolos industrializados, biscoitos recheados, balas, caramelos, refrigerantes que fazem parte do dia a dia de muita gente.

Ensine as crianças que esses itens são para consumo esporádico, como no aniversário de um coleguinha, pois, apesar de gostosos, não fazem bem à saúde. Aliás, a ingestão frequente desse tipo de alimento está relacionada diretamente à obesidade associada à desnutrição.

Não dê alimentos como modo de compensar

Com a correria do dia a dia, muitas vezes os pais interagem com os filhos por pouco tempo durante a semana. Como a comida nos traz prazer, além da memória afetiva, é comum os cuidadores recompensarem sua ausência com guloseimas — uma bala, um pirulito ou um chocolate.

Embora as intenções sejam as melhores possíveis, esse tipo de atitude ensina as crianças, inconscientemente, que os alimentos servem como conforto para frustrações. Por isso, mesmo que os pequenos peçam com aquele jeitinho todo especial, é preciso negar.

Afinal, o “não” também é uma forma de amor. Você pode substituir esse tipo de agrado por alguns minutinhos de atividades juntos, pode ser uma brincadeira ou assistir a um desenho.

Existem várias questões por trás da importância da alimentação na infância que envolvem outros aspectos, não somente o nutricional. Um cardápio rico e variado em alimentos saudáveis aliado a uma rotina alimentar é capaz de estimular bons hábitos que serão levados para a vida toda.

E por falar em alimentação equilibrada, você já conhece a Bálsamo Congelados? Ela traz um cardápio variado em pratos saudáveis e veganos que unem o sabor e a saúde à praticidade. Entre em contato e saiba mais!

Quanto mais natural, melhor.

Chega de ultraprocessados, realçadores de sabor e de listas de ingredientes impossíveis de entender. As nossas
refeições não tem corantes ou conservantes artificiais, e cada ingrediente é comida de verdade.