Ansiedade e alimentação: entenda essa relação

Ansiedade e alimentação têm um relacionamento bem estreito. A verdade é que existem alimentos que ajudam a combater esse transtorno cada vez mais frequente. Essa condição é caracterizada pela preocupação excessiva em situações estressantes e, muitas vezes, que ainda nem aconteceram.

Só de pensar em uma reunião com o chefe, por exemplo, a pessoa já apresenta os sintomas, que podem ser medo, tensão, irritabilidade, aumento na frequência cardíaca e outros. Quem sofre do transtorno de ansiedade também apresenta os sinais em ocasiões menos preocupantes para as outras pessoas.

Pensando nisso, além do tratamento com uma equipe multidisciplinar, é preciso manter um cardápio rico em alimentos que reduzem as sensações e trazem maior bem-estar ao paciente. Quer saber quais são esses itens? Continue a leitura e confira!

1. Castanha-do-pará

A castanha-do-pará é rica em ômega-3, um poderoso anti-inflamatório natural. Tendo em vista que a ansiedade está relacionada à inflamação do organismo, o alimento ajuda a reduzir os sintomas. Além do mais, a oleaginosa é fonte de selênio, um mineral antioxidante que atua na melhora do humor e previne danos às células, inclusive às cerebrais.

Aliás, não é somente essa oleaginosa que contém as propriedades descritas. Nozes, amêndoas e outros tipos de castanhas também apresentam todos esses benefícios.

2. Sementes de abóbora

As sementes de abóbora são mais poderosas do que se pode imaginar. Elas representam uma fonte de potássio, que é um mineral importante na regulação da pressão arterial. Isso porque pessoas que sofrem de ansiedade podem ter um descontrole na pressão arterial, sendo beneficiadas pelo potássio.

Outro nutriente presente nesse alimento é o zinco. A deficiência desse mineral influencia negativamente o humor. Isso porque ele está muito presente na região do cérebro que é relacionada às emoções. Logo, a falta de zinco pode afetar essa questão.

3. Camomila

Não é à toa que as pessoas mais velhas falam que tomar chá de camomila acalma. A erva tem propriedades relaxantes, o que é ótimo. Além do mais, os flavonoides presentes na planta ajudam a controlar os sintomas da ansiedade, porém não evitam que surgem novos episódios do transtorno.

4. Iogurte

O iogurte atua no combate ao transtorno de ansiedade de duas maneiras. A primeira é por conta do cálcio, que auxilia a controlar alguns sintomas da condição, como a irritabilidade e as alterações de humor. A segunda é por ser um probiótico.

Os micro-organismos contidos no alimento regulam as funções intestinais. O intestino é conhecido como o segundo cérebro, pois apresenta milhões de neurônios e é responsável pela produção da maior parte da serotonina. Dessa forma, se ele funciona bem, consegue fabricar boas quantidades desse neurotransmissor tão importante para o bem-estar.

Além dos alimentos que fazem bem, é interessante evitar os que nos deixam mais propensos aos sinais da ansiedade. Bebidas alcoólicas, cafeína, açúcares e farinha branca são exemplos. Alguns deixam o organismo ainda mais alerta, como a cafeína, outros favorecem as inflamações, como os açúcares.

Como vimos, ansiedade e alimentação têm uma conexão que deve ser aproveitada para ajudar a tratar esse transtorno. Uma dieta rica em itens nutritivos é interessante não somente para manter a saúde física, mas também para preservar a mental. Por isso, se você apresenta esse transtorno, consulte um nutricionista para incluir adequadamente esses alimentos no seu plano alimentar.

A relação entre intestino e cérebro é maior do que muita gente imagina. Quer entender mais sobre isso? Então, aproveite que está por aqui e leia o nosso artigo!

Quanto mais natural, melhor.

Chega de ultraprocessados, realçadores de sabor e de listas de ingredientes impossíveis de entender. As nossas
refeições não tem corantes ou conservantes artificiais, e cada ingrediente é comida de verdade.